Ecoescleroterapia com Microespuma

O Dr Marcondes Figueiredo é um dos pioneiros neste tratamento no Brasil, atualmente desenvolve esta técnica na sua clinica com o apoio do Ultrasonografista Vascular Dr Salustiano Pereira de Araújo.

A ECOESCLEROTERAPIA COM MICROESPUMA consiste na injeção de microespuma a base de polidocanol obtida através da técnica de Tessari. (Figura abaixo)

 
tessari

 

Com a ultra-sonografia vascular a veia é puncionada e a espuma é injetada e acompanha-se a microespuma no seu interior. Em seguida o membro do tratado é enfaixado com atadura inelástica que permanece por cinco dias, retirando apenas para o banho e finalmente uma meia elástica 30-40 mmHg ¾ ou 7/8 é prescrita, sendo utilizada durante o dia por um período de 3 meses. 

O procedimento é feito na clinica, o paciente vai para casa após o procedimento e ao contrário do tratamento cirúrgico a ecoescleroterapia com microespuma dispensa o repouso, apenas o paciente não pode realizar atividade física durante 30 dias após o procedimento.

Em alguns casos o procedimento tem que ser complementado com mais de uma injeção de microespuma, isto ocorre após uma avaliação com a ultra-sonografia vascular feita 30 dias após o primeiro tratamento.

O procedimento da ecoescleroterapia com microespuma pode ter complicações, as mais freqüentes são a tromboflebite química e as manchas hipercrômicas. (Figuras respectivas abaixo)

tromboflebite

 

hiprecromica

 

Casos clínicos demonstrativos antes e depois do tratamento.

Caso 1:

caso1 antes

ANTES

caso1 depois

DEPOIS

 

Caso 2:

caso2 antes

ANTES

caso2 depois

DEPOIS

 

Caso 3:

caso3 antes

ANTES

 

caso3 depois

DEPOIS